ESCORPIÃO DE FORD

1985-1994 de lançamento

Reparo e operação do carro



Ford Skorpio
+1.1. Identificação do carro
+ 2. Manutenção
- 3. Motores
   +3.1. Motor de OHC
   +3.2. Motor de DOHC
   +3.3. Motor de V6
   +3.4. Sistemas de ignição e gestão de motor
   -3.5. Motores diesel
      3.5.1. Característica técnica
      3.5.2. O reparo que não exige a remoção do motor
      3.5.3. Cheque e ajuste de fendas de válvulas
      +3.5.4. Sistema de combustível
      +3.5.5. Cabeça do bloco de cilindros
      3.5.6. Remoção e instalação do motor
      +3.5.7. Desmontagem, reparo e reunião do motor
      3.5.8. Turbocompressor
      +3.5.9. Sistema de lubrificação
      -3.5.10. Esfriamento de sistema
         3.5.10.1. Descarga de líquido do sistema de esfriamento
         3.5.10.2. Recheio de sistema e remoção de ar
         3.5.10.3. Torcedor
         3.5.10.4. Remoção e instalação da união do torcedor
         3.5.10.5. Termostato
      3.5.11. Maus funcionamentos padrão do motor
+4. Esfriamento de sistema
+5. Sistema de combustível
+6. União
+7. Transmissões
+8. Eixo motor e ponte traseira
+9. Direção
+10. Suportes de forma triangular de interrupção
+11. Sistema de freios
+12. Rodas e pneumáticos
+13. Corpo
+14. Equipamento elétrico
bfe6b27a



3.5.10.3. Torcedor

INFORMAÇÃO GERAL

O passeio do torcedor do esfriamento compõe-se de duas partes importantes – uniões eletromagnéticas e de atrito. A união eletromagnética põe-se na ação por um cinto de bordo e gira em um eixo que se inclina em dois carregamentos de bola instalados no influxo de uma cobertura do passeio do mecanismo da distribuição de gás. Em primeiro plano deste eixo a ligação de bola que a união de atrito com lâminas de torcedor livremente faz girar instala-se. Entre uniões eletromagnéticas e de atrito há uma fenda aérea se a temperatura do motor não exceder 71 °C. Quando a temperatura de esfriar o líquido aumenta acima de 85 °C, o sensor instalado em um radiador dá a tensão em uma escova de contato de carvão e, por um anel de contato, no rolo eletromagnético. Abaixo da influência do campo magnético, a união de atrito atrai-se ao eletromagnético, e as lâminas do torcedor começam a girar com uma velocidade da rotação de uma roldana. Na redução da temperatura de esfriar o líquido, o eletroímã desconecta-se, a fenda restaura-se e as lâminas do torcedor diminuem-se, girando só abaixo da influência de uma corrente de ar e torpor.

Para a operação normal da união a tensão de um cinto do passeio tem de ser normal, o sensor elétrico é útil, a escova de carvão não é usada, e um anel de contato puro.

Fenda entre o torcedor e a tomada da união – 0,5 mm no motor frio. Antes do cheque de uma fenda é necessário remover lâminas de torcedor, tendo apagado a fixação de nozes. As medições executam-se pela tenta em vários pontos em um círculo. Para executar o ajuste é necessário enfraquecer contraporcas de ajustar pinos e, fazendo-os girar, estabelecer a fenda necessária.